Servidor do Juizado Criminal apresenta artigo nos Estados Unidos

23 10 2011

Juntamente com americanos, chineses, japoneses, alemães, brasileiros, indianos e muitos outros pesquisadores de outras nacionalidades, o servidor Jean Carlos Teixeira de Araujo, Técnico Judiciário do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, ora lotado no Juizado Especial Criminal da Comarca de Paulo Afonso/BA, participou entre os dias 09 e 12 de outubro deste ano do IEEE International Conference on Systems, Man, and Cybernetics (IEEE SMC 2011) realizado na cidade de Anchorage, Alaska, USA.

No terceiro dia do evento (11/10/2011), o servidor apresentou o artigo intitulado Software Aging Issues on the Eucalyptus Cloud Computing Infrastructure, referente à parte dos resultados de sua dissertação de mestrado em Ciência da Computação pelo Centro de Informática da Universidade Federal de Pernambuco – CIn-UFPE.

Apresentação do artigo na Seção Especial em Computação nas Nuvens

Esse evento, mais conhecido simplesmente como SMC, é realizado anualmente em várias cantos do mundo. Trata-se de um fórum internacional que reúne pesquisadores e profissionais a fim de relatar as últimas inovações, resumos do “estado-da-arte”, e trocar idéias e avanços em todos os aspectos emergentes da engenharia de sistemas, sistemas homem-máquina, e cibernética. No ano passado o SMC ocorreu na cidade de Istambul (antiga Bizâncio e Constantinopla) na Turquia. Esse ano foi realizado em Anchorage, cidade mais populosa do Estado americano do Alaska. Ano que vem o mesmo evento acontecerá em Seul, Coréia do Sul. Continue lendo »

Anúncios




COMARCA DE GLÓRIA É DESATIVADA PELO TJ/BA

21 10 2011

Em sessão plenária realizada na manhã desta quarta-feira (19/10), os desembargadores do Tribunal de Justiça aprovaram, por maioria, a desativação de 50 comarcas do Estado.

A partir da publicação do Acórdão no Diário da Justiça Eletrônico, a Presidência do Tribunal de Justiça irá manter entendimentos com juízes, servidores e representantes das comarcas desativadas para ajustar a melhor forma de cumprimento da decisão.

Os magistrados entenderam da necessidade de reduzir custos. Ainda de acordo com a decisão, as comarcas desativadas serão agregadas às comarcas de mais fácil acesso, neste caso Paulo Afonso.

Os preparativos para a desativação das unidades judiciais e extrajudiciais já está sendo tomada, neste dia 21/10 a Presidente do Tribunal suspendeu o expediente nas comarcas desativadas nos dias 31 de Outubro e 01 de novembro, onde convocou todos os servidores para uma reunião no Tribunal que irá tratar de assunto relativo à desativação destas comarcas.

O certo é quem tiver processos em Glória deverá em breve tratar no Fórum de Paulo Afonso ou no Juizado Especial.

Fonte: jeccpauloafonso.wordpress.com





A nova corregedora do Conselho Nacional de Justiça diz que é comum a troca de favores entre magistrados e políticos

15 10 2011

A ministra Eliana Calmon é conhecida no mundo jurídico por chamar as coisas pelo que elas são. Há onze anos no Superior Tribunal de Justiça (STJ), Eliana já se envolveu em brigas ferozes com colegas — a mais recente delas com o então presidente Cesar Asfor Rocha.

Recém-empossada no cargo de corregedora do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a ministra passa a deter, pelos próximos dois anos, a missão de fiscalizar o desempenho de juízes de todo o país.

A tarefa será árdua. Criado oficialmente em 2004, o CNJ nasceu sob críticas dos juízes, que rejeitavam a ideia de ser submetidos a um órgão de controle externo. Nos últimos dois anos, o conselho abriu mais de 100 processos para investigar magistrados e afastou 34.

Em entrevista a VEJA, Eliana Calmon mostra o porquê de sua fama. Ela diz que o Judiciário está contaminado pela politicagem miúda, o que faz com que juízes produzam decisões sob medida para atender aos interesses dos políticos, que, por sua vez, são os patrocinadores das indicações dos ministros.

Por que nos últimos anos pipocaram tantas denúncias de corrupção no Judiciário?

Durante anos, ninguém tomou conta dos juízes, pouco se fiscalizou. A corrupção começa embaixo. Não é incomum um desembargador corrupto usar o juiz de primeira instância como escudo para suas ações. Ele telefona para o juiz e lhe pede uma liminar, um habeacorpus ou uma sentença. Os juízes que se sujeitam a isso são candidatos naturais a futuras promoções. Os que se negam a fazer esse tipo de coisa, os corretos, ficam onde estão. Continue lendo »