Corpos de três jovens mortos no Sul da Bahia são enterrados no Espírito Santo

26 04 2012

Foram enterrados na noite desta quarta-feira (25) em cidades do interior do Espírito Santo os corpos dos jovens Rosaflor Oliveira e Marllon Vieira Amaral, mortos em um acidente no extremo-sul da Bahia. O sepultamento de André Galão, 28 anos, que dirigia o veículo, foi enterrado na manhã desta quinta-feira (26). Já Amanda de Paula Oliveira e Izadora Ribeiro de Oliveira devem enterrados ao longo do dia em cidades de Minas Gerais.

Os corpos dos cinco estudantes do Espírito Santo foram liberados na tarde de ontem pelo IML de Texeira de Freitas e foram levados, por familiares, para as cidades onde seriam enterrados. O corpo de Rosaflor Oliveira foi enterrado na cidade Mucurici (ES). Já o estudante Marllonn Amaral foi velado e sepultado no cemitério de São Marcos, em Nova Venécia (ES).

O velório de André Galão estava previsto para o início da manhã de hoje na casa dos pais em Colatina (ES). Após velado, o corpo de André deve ser levado para o Cemitério de Acioli, onde será enterrado.

O sepultamento das duas jovens mineiras Amanda de Paula Oliveira e Izadora Ribeiro de Oliveira será realizado hoje. O corpo de Amanda está previsto para ser enterrado no Cemitério Parque das Flores, em Manhuaçu (MG), às 10h. Já o corpo de Izadora foi levado para a cidade de Jaíba (MG) pela família. O local do enterro não foi divulgado.

O carro estava a 120 km/hO carro dos universitários no momento do acidente estava a, pelo menos, 120 km/h quando colidiu em uma árvore ao despencar de uma altura de cerca de 40 metros após sair da pista no km 947 da BR-101. As informações preliminares são da perícia técnica de Teixeira de Freitas, realizada no local ainda durante a madrugada desta quarta-feira (25) após o resgate dos corpos das cinco vítimas fatais.


Carro dos jovens foi encontrado na noite desta terça (Foto: Divulgação / PRF)

Em entrevista à TV Gazeta, o coordenador do Departamento de Polícia Técnica de Teixeira de Freitas, Manoel Gomes, informou que parte do trajeto do carro foi reconstituído na vegetação e ficou constatado que ele tombou antes de cair dentro do rio Mucuri e ficar parcialmente submerso. O carro, um Fiat Punto com placa ODC-9685, foi içado das margens do rio por volta das 2h desta quarta. O corpo de André Gallão, que seria o dono e motorista do carro, foi encontrado ainda no início da noite desta terça-feira (24), ao lado do carro.  A polícia acredita que ele tenha sido projetado para fora quando o veículo saiu da pista.

Após a retirada do carro, a polícia encontrou os outros quatro corpos ainda dentro do veículo com os cintos de segurança. A perícia ainda não sabe, no entanto, se os jovens foram vítimas dos traumas provocados pela colisão ou se morreram afogados.

Os estudantes estavam desaparecidos desde a última sexta-feira (20), quando saíram de São Mateus, município no norte do Espírito Santo, para uma festa em Prado, no extremo-sul baiano.

Localização de veículo
Segundo o repórter Beto Ramos, da Rádio FM Abrolhos, o Punto foi localizado por volta de 18h por um morador de Itabatã, que sentiu um mau cheiro forte vindo do local e avisou as autoridades. O carro caiu cerca de 15 metros de altura, segundo o repórter.

Ainda segundo Ramos, o local onde o carro caiu é antes do posto de gasolina de Mucuri, onde eles teriam feito um lanche. Essa informação pode ter prejudicado as buscas, que estavam sendo feitas já a partir do posto da cidade.

Entenda o caso
Izadora Ribeiro, Marllonn Amaral, Amanda Oliveira, Rosaflor Oliveira e André Galão viajavam em um carro modelo Punto, placa ODC-6985, para comemorar o aniversário da mãe de Izadora, que mora em Prado. Até a manhã desta terça-feira (23), eles não haviam sido encontrados.

Segundo o delegado Walter Barcelos, os celulares dos cinco jovens pararam de funcionar quase simultaneamente. “Eles saíram do Espírito Santo por volta das 19h e, por volta das 21h, os celulares apagaram ao mesmo tempo perto do município de Pedro Canário, na divisa com a Bahia”, disse o delegado ao CORREIO. A viagem deveria durar aproximadamente três horas.

Com a demora dos jovens, os pais da Izadora fizeram o trajeto contrário da viagem à procura de acidente. Como não encontraram, procuraram a polícia em São Mateus para informar o desaparecimento. “Se eles fossem mudar o trajeto iriam avisar a gente”, disse Doralize Ribeiro, mãe de Izadora.

* Com informações das repórteres Carol Neves, Mayra Lopes e Louise Lobato.

Anúncios

Ações

Informação

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: